Então Jó respondeu ao SENHOR e disse: Sou indigno; que te responderia eu? Ponho a mão na minha boca. Uma vez falei e não replicarei, aliás, duas vezes, porém não prosseguirei.     – Jó 40:3-5

Em meio ao seu discurso (Jó 38-39), Deus dá uma oportunidade a Jó para responder. Deus faz uma pergunta, que exige de Jó uma resposta, e 4 verbos se destacam na mesma: contender, repreender, responder e acusar (v.1-2). Jó se sente indigno de dizer qualquer coisa. Mudou até a sua postura, pois sempre defendera a sua inocência (v.3-5). O propósito principal de Deus, não é humilhar a Jó, mas a levá-lo a uma nova experiência.

O SENHOR retoma o seu discurso em meio a um redemoinho, e pergunta a Jó: Você pode anular o meu juízo?, me condenará para te justificares? (v.6-9). Deus lembra a Jó que condená-lo é loucura. Não pode agir nem falar como Deus. O SENHOR fala sobre 4 atributos seus: excelência, grandeza, majestade e glória. Então desafia Jó a se vestir com esses atributos (v.10). Como Jó lidaria com os transgressores? (v.11-12).

Deus se refere a um animal, que em muitas versões colocam como sendo o hipopótamo, mas na realidade não tem nada a ver com ele (behemot). Provavelmente, Deus esteja se referindo a alguma espécie extinta, algum tipo de dinossauro, algum animal muito grande (v.15-24):

  • Esse animal seria herbívoro como o boi;
  • lombos fortes, músculos no ventre;
  • cauda dura como o cedro;
  • tendões entretecidos;
  • ossos como tubos de bronze;
  • arcabouço como barras de ferro;
  • obra-prima dos feitos de Deus;
  • provido de espadas (talvez dentes muito afiados);
  • pasta nos montes;
  • deita-se debaixo dos lotos, portanto um animal aquático;
  • não se intimida com enchentes;
  • difícil de ser apanhado, principalmente se estiver atento.

Deus procura mostrar a Jó que Ele está no comando de tudo, Ele é o Criador, e também o Mantenedor.