Firme está o meu coração, ó Deus, o meu coração está firme; cantarei e entoarei louvores. Salmo 57:7

Alguns obstáculos parecem grandes demais para ser transpostos e longos demais para suportar. Enquanto enfrenta grandes desafios, você deveria se perguntar: “Estou permitindo que essas dificuldades me superem? Ou estou disposto a superá-las?”

Frances Jane Crosby, popularmente conhecida como Fanny Crosby, nasceu no condado de Putnam, Estado de Nova York, em 24 de março de 1820. Por causa de um erro médico, ficou cega com apenas seis semanas de vida. Tornou-se um dos exemplos mais inspiradores de superação desse imenso obstáculo. Com somente oito anos, escreveu: “Oh, quão feliz eu sou, / Embora não possa ver! / Enquanto neste mundo estou / Resolvi que contente vou ser.” Ela acreditava que, por ter passado a vida inteira sem enxergar, teria um privilégio extraordinário: “Quando chegar ao Céu, o primeiro rosto que alegrará minha visão será o de meu Salvador!” A compositora morreu em 12 de fevereiro de 1915, deixando-nos um legado extraordinário de quase 9 mil poemas e hinos.

Um dos hinos mais apreciados que ela escreveu foi “Bendita Segurança” (Hinário Adventista do Sétimo Dia, no 240). Sua primeira estrofe e coro dizem:

Que segurança! Sou de Jesus!                                  Canta minh’alma! Canta ao Senhor!    Eu já desfruto bênçãos da luz!                                  Rende-lhe sempre honra e louvor!  Sei que herdeiro sou de meu Deus;                          Canta minh’alma! Canta ao Senhor!  Ele me leva à glória dos céus!                                  Rende-lhe sempre honra e louvor!

Crosby enriqueceu a própria vida espiritual e a vida de outros por meio de hinos, e nós devemos fazer o mesmo. Ellen White aconselha: “Nunca se deve perder de vista o valor do canto como meio de educação. Que haja cântico no lar, de hinos que sejam suaves e puros, e haverá menos palavras de censura e mais de animação, esperança e alegria. Haja canto na escola, e os alunos serão levados para mais perto de Deus, dos professores e uns dos outros” (Educação, p. 168). Além de seguir esse conselho em seus cultos domésticos, você também pode manter na mente um belo hino ao longo do dia.                                          – Alberto Timm, Um dia inesquecível, MM 2018