Como já disse anteriormente, passamos o ano novo na estação. Apesar de o trem ter chegado cedo, ficamos aguardando outro trem que vinha da fronteira da Argentina, com mais passageiros, para se unir ao nosso, formando um único trem (com mais vagões). Ele chegou quase as 2h da manhã. Nos instalamos no mesmo (os vagões de 1a. classe chegaram agora).

Recebemos um cobertor e um travesseiro pequeno. O cansaço era tanto que acho que desmaiei de sono na poltrona. Dormi até as 6h. Acho que respirei muita poeira que tem pelo caminho, pois minha garganta e nariz começaram a incomodar muito.

As 7:30 h serviram o desjejum: um chá (trimate (aniz, erva doce e coca), e um pão com ovo. Chegamos as 10 h. em Oruro. Não deu para curtir muito a paisagem, pois o cansaço era enorme. Fomos de táxi para a Rodoviária, mas por ser feriado aqui na cidade, tivemos que negociar com os ônibus do lado de fora da mesma (ainda bem que eles estavam trabalhando). Conseguimos um bom ônibus para nos levar a La Paz. Quando o encheram, começamos a viagem. A passagem saiu por 25 bs. por pessoa. São 11h. e estamos iniciando a nossa viagem.

Parece que é uma unica reta (lembra a Rio-Bahia). Vimos alguns picos ao longe, na cordilheira, com neve. Estamos a uma temperatura de 20 a 22 graus, mas dá para ver a neve ao longe (muito bonito, pelo menos para mim que nunca vi a neve de perto).

Mais uma vez vimos muitas mulheres pastoreando os animais, e dirigindo os comércios locais (alguns eram os homens que estavam a frente). La Paz “É o município mais populoso da Bolívia. Localiza-se no Oeste do Pais, a 3.660 mts de altitude, com uma população de 1.613.000 habitantes. Embora Sucre continue sendo legalmente a capital do pais,  o governo tem sua sede na cidade de La Paz, desde 1898. É a capital sul-americana de maior altitude.”

Um pouco antes de chegarmos a La Paz, que fica em um vale, estamos em uma cidade que fica na parte alta desse vale. Trata-se de El Alto, que fica a 4.100 metros de altitude (uma das mais altas do mundo), formando quase que uma unica cidade. Sua população é de aproximadamente 800.000 habitantes. O aeroporto internacional fica nesta cidade, bem como a Força Aerea Boliviana.

Muita agitação e transito intenso nesta cidade. Agora começamos a descer o vale, que é muito profundo, em direção a La Paz. É incrivel pois em toda a encosta do vale estão as construções das casas.

Chegamos a Rodoviária as 14:15 h, com uma viagem bem tranquila. Choveu bem, e tem muito verde. Fomos para o Hotel Estrela Astral, que na realidade é um Hostel (Hotel muito utilizado principalmente pelos mochileiros). As instalações são medianas. Sai U$ 7 por pessoa, com café da manhã.

Por ser feriado, uma boa parte do comercio estava fechado. Fomos almoçar em um restaurante proximo ao hotel, El Lobo. Alguns funcionarios não vieram trabalhar devido ao motivo acima exposto, por isso demorou bem para sair o nosso pedido. Na realidade foi um lanche. Pedi um suco de laranja com papaya (mamão), uma salada de pepino com tomate e um omelete de verduras (25 bs.). Compramos algumas frutas para a janta (uva, mangas e ameixas).

Muito cansativo o final de dia de ontem e o dia de hoje. Não recomendo a ninguém fazer o roteiro que fizemos no dia de hoje. Isso ocorreu por não termos conseguido nenhum passeio especial no dia de ontem. Mas amanhã é sábado, dia de descanso. A programação para amanhã é ir a Igreja Adventista pela manhã e um passeio de parque a tarde.

la-paz-bolivia