Pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Efésios 6:12, NVI

Somente aqueles que se envolveram em uma guerra são capazes de avaliar sua brutalidade e seu horror. Durante a Segunda Guerra Mundial, o exército alemão usou uma técnica militar chamada Blitzkrieg(“guerra-relâmpago”), tática devastadora baseada na velocidade e na surpresa. Em 13 de janeiro de 1943, Adolf Hitler declarou guerra total. Ele estava disposto a fazer qualquer sacrifício de vidas e outros recursos a fim de conquistar a vitória completa. Ao substituir os operários nas fábricas por trabalhadoras, conseguiu levar cerca de 500 mil homens para o exército. Tamanha mobilização só pôde ser superada pelos Aliados ao custo de milhões de vidas, nas batalhas mais terríveis travadas na Europa.

A Bíblia nos conta que também estamos em guerra contra as forças espirituais do mal (Ef 6:12), e que o diabo está cheio “de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta” (Ap 12:12). Esse conflito abrange todas as dimensões de nossa vida e todos os momentos de nosso tempo. Ellen White explica: “Pudesse nossa visão espiritual ser ativada, e veríamos […] anjos voando velozes em auxílio desses tentados, forçando a retroceder as legiões do mal que os sitiavam, e colocando seus pés sobre firme plataforma. As batalhas entre os dois exércitos são tão reais como as travadas pelos exércitos deste mundo, e do resultado do conflito espiritual dependem destinos eternos” (Profetas e Reis, p. 176).

No entanto, como podemos obter vitória sobre as forças do mal? O estrategista militar chinês Sun Tzu (544-496 a.C.) afirmou: “Toda batalha é ganha antes mesmo de ser travada.” Em outras palavras, não há vitória sem um completo preparo anterior. Por esse motivo, o apóstolo Paulo descreveu em Efésios 6:10 a 20 qual é a armadura completa do soldado cristão vitorioso. Lembre-se de que, nessa batalha cósmica, “ninguém, sem oração, se encontra livre de perigo durante um dia ou uma hora que seja” (O Grande Conflito, p. 530). Além disso, “não estamos seguros por uma hora sequer enquanto deixamos de prestar obediência à Palavra de Deus” (Fundamentos da Educação Cristã, p. 537).

Para aqueles que entregam a vida incondicionalmente ao Senhor, permanece a promessa de que “mais fácil seria enviar Ele todos os anjos do Céu para protegerem Seu povo, do que deixar a alma que Nele confia ser vencida por Satanás” (O Grande Conflito, p. 560).  Que essa seja nossa certeza! – Alberto Timm, Um dia inesquecível, MM 2018