Ele derruba cedros, talvez apanhe um cipreste, ou ainda um carvalho. Ele o deixou crescer entre as árvores da floresta, ou plantou um pinheiro, e a chuva o fez crescer. É combustível usado para queimar; um pouco disso ele apanha e se aquece, acende um fogo e assa um pão. Mas também modela um deus e o adora; faz uma imagem e se curva diante dela. – Isaías 44:14-15

Em Isaías 44, Deus faz promessas a Seu povo. Fala sobre a inutilidade dos ídolos e a insensatez dos que os fabricam. Deus exorta Seu povo a louvá-Lo por Sua salvação e onipotência.

O Senhor é o único Deus:
1 Mas escute agora, Jacó, meu servo, Israel, a quem escolhi. 2 Assim diz o Senhor, aquele que o fez, que o formou no ventre, e que o ajudará: Não tenha medo, ó Jacó, meu servo, Jesurum (“ser reto”), a quem escolhi. 3 Pois derramarei água na terra sedenta, e torrentes na terra seca; derramarei meu Espírito sobre sua prole, e minha bênção sobre seus descendentes.
4 Eles brotarão como relva nova, como salgueiros junto a regatos. 5 Um dirá: “Pertenço ao Senhor”; outro chamará a si mesmo pelo nome de Jacó “sou descendente de Jacó”; ainda outro escreverá em sua mão: “sou do Senhor”, e tomarão para si o nome Israel.
A insensatez da idolatria:
6 Assim diz o Senhor, o rei de Israel, o seu redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último; além de mim não há Deus. 7 Quem então é como eu? Que ele o anuncie, que ele declare e exponha diante de mim o que aconteceu desde que estabeleci meu antigo povo, e o que ainda está para vir; que todos eles predigam as coisas futuras e o que irá acontecer. 8 Não tremam, nem tenham medo. Não anunciei isto e não o predisse muito tempo atrás? Vocês são minhas testemunhas. Há outro Deus além de mim? Não, não existe nenhuma outra Rocha; não conheço nenhuma.
9 Todos os que fazem imagens nada são, os que fabricam ídolos são tolos, e as coisas que estimam são sem valor. As suas testemunhas nada vêem e nada sabem, para que sejam envergonhados. 10 Quem é que modela um deus e funde uma imagem, que de nada lhe serve? 11 Todos os seus companheiros serão envergonhados; pois os artesãos não passam de homens. Que todos eles se ajuntem e declarem sua posição; eles serão lançados ao pavor e à vergonha.
12 O ferreiro apanha uma ferramenta e trabalha com ela nas brasas; modela um ídolo com martelos, forja-o com a força do braço. Ele sente fome e perde a força; passa sede e desfalece. 13 O carpinteiro mede a madeira com uma linha e faz um esboço com um traçador; ele o modela toscamente com formões e o marca com compassos. Ele o faz na forma de homem, de um homem em toda a sua beleza, para que habite num santuário.
14 Ele derruba cedros, talvez apanhe um cipreste, ou ainda um carvalho. Ele o deixou crescer entre as árvores da floresta, ou plantou um pinheiro, e a chuva o fez crescer. 15 É combustível usado para queimar; um pouco disso ele apanha e se aquece, acende um fogo e assa um pão. Mas também modela um deus e o adora; faz uma imagem e se curva diante dela. 16 Metade da madeira ele queima no fogo; sobre ela ele prepara sua refeição, assa a carne e come sua porção. Ele também se aquece e diz: “Ah! Estou aquecido; estou vendo o fogo”. 17 Do restante ele faz um deus, seu ídolo; inclina-se diante dele e o adora. Ora a ele e diz: “Salva-me; tu és o meu deus”.
18 Eles nada sabem, nada entendem; seus olhos estão tapados, não conseguem ver, e suas mentes estão fechadas, não conseguem entender. 19 Ninguém pára para pensar, ninguém tem o conhecimento ou o entendimento para dizer: “Metade dela usei como combustível; até mesmo assei pão sobre suas brasas, assei carne e comi. Faria eu algo repugnante com o que sobrou? Iria eu ajoelhar-me diante de um pedaço de madeira?”
20 Ele se alimenta de cinzas, um coração iludido o desvia; ele é incapaz de salvar a si mesmo ou de dizer: “Este ídolo na minha mão direita não é uma mentira?”
Restauração para Jerusalém:
21 Lembre-se disso, ó Jacó, pois você é meu servo, ó Israel. Eu o fiz, você é meu servo; ó Israel, eu não o esquecerei. 22 Como se fossem uma nuvem, varri para longe suas ofensas; como se fossem a neblina da manhã, os seus pecados. Volte para mim, pois eu o resgatei.
23 Cantem de alegria, ó céus, pois o Senhor fez isto; gritem bem alto, ó profundezas da terra. Irrompam em canção, vocês, montes, vocês, florestas e todas as suas árvores, pois o Senhor resgatou Jacó; ele mostra sua glória em Israel. 24 Assim diz o Senhor, o seu redentor, que o formou no ventre: Eu sou o Senhor, que fiz todas as coisas, que sozinho estendi os céus, que espalhei a terra por mim mesmo, 25 que atrapalha os sinais dos falsos profetas e faz de tolos os adivinhadores, que derruba o conhecimento dos sábios e o transforma em loucura, 26 que executa as palavras de seus servos e cumpre as predições de seus mensageiros, que diz acerca de Jerusalém: Ela será habitada, e das cidades de Judá: Elas serão construídas, e de suas ruínas: Eu as restaurarei, 27 que diz às profundezas aquáticas: Sequem-se, e eu secarei seus regatos, 28 que diz acerca de Ciro: Ele é meu pastor, e realizará tudo o que me agrada; ele dirá acerca de Jerusalém: “Seja reconstruída”, e do templo: “Sejam lançados os seus alicerces”.

Isaías chama a atenção do povo, e também nossa, para o fato de que os ídolos, diante dos quais muitos se curvam, e conversam com eles, nada mais é do que um pedaço de madeira, ou de gesso, ou de algum metal. Usou o exemplo dos que fazem um ídolo de madeira, pois de uma parte da madeira ele faz fogo para cozinhar, para se aquecer, e da outra parte que sobrou, ele faz um ídolo e o adora. Essas pessoas que se curvam diante de uma image, estão como o coração (ou mente) obscurecidos por ensinamentos enganosos. Estão adorando um pedaço de madeira que nada é, nada sabe, nada pode ensinar. Deus repreende Israel, e a nós outros também, por adorar ídolos ao invés de adorar o próprio Deus. Só Deus é digno de toda a adoração.