Jó, sentado em cinza, tomou um caco para com ele raspar-se. – Jó 2:8

“Num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR” (v.1), dá a impressão de que Deus fazia reuniões periódicas com seus filhos, os anjos. E Satanás também participava, pois ele também é um anjo, desvirtuado, mas não deixa de ser um anjo. Novamente Deus o interroga (v.2), e logo Deus procura mostrar ao inimigo, o quanto Jó é fiel a Ele, e integro “embora me incitasses contra ele, para o consumir sem causa” (v.3). Satanás desafia a Deus para permitir que ele faça mais um teste com Jó, agora “pele por pele”, “toca-lhe nos ossos e na carne e verás se não blasfema contra ti na tua face” (v.4-5). Deus aceita o desafio, pois conhece o caráter de Jó, e estabelece um limite: “poupa-lhe a vida” (v.6).

Imediatamente Satanás da presença do SENHOR, e fere a Jó de “tumores malignos, desde a planta do pé até ao alto da cabeça” (v.7). Não se sabe qual foi a doença que o inimigo colocou em Jó, mas era terrível, fazendo com que o pobre Jó se coçasse com pedaço de cerâmica (v.8) para aliviar a violenta coceira e talvez a fim de remover a secreção e a crosta proveniente das erupções. Sua esposa, angustia por tantos problemas que estavam enfrentando, e agora também a doença de Jó, incitada pelo inimigo, fala: “Ainda conserva a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre” (v.9). Basicamente, as palavras dela foram as mesmas que Satanás usou para convencer a Deus para fazer esse teste (v.4-5).

Jó respondeu: “Falas como qualquer doida”, não no sentido de insanidade mental, mas a insensibilidade moral e religiosa. Jó continuava integro no propósito de andar nos caminhos de Deus, mesmo diante de mais essa provação. “Temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?”, em tudo isso Jó não pecou com os seus lábios (v.10). Mas os problemas de Jó ainda não terminariam, pois três de seus amigos, ao saberem do que havia acontecido com ele, vieram “condoer-se dele e consolá-lo” (v.11). Quando o viram, choraram e rasgaram suas vestes, e ficaram sete dias e sete noite, sem dizer uma única palavra, pois viam que a dor era muito grande (v.12-13). Que exemplo o de Jó para todos nós, cristãos. Que integridade. É isso que Deus espera de nós, principalmente nos momentos mais difíceis de nossa vida.Jó e seus amigos