Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar. Lucas 14:28-30

Muitos projetos fracassam quando se permite que a criatividade e o idealismo passem por cima do planejamento e do orçamento. Um provérbio egípcio diz: “Estique as pernas de acordo com o tamanho da sua coberta.” De modo semelhante, um provérbio italiano declara: “Não estique o braço mais do que alcança a manga de sua blusa.” Esses provérbios não têm a intenção de reprimir sonhos e ambições, mas pretendem nos alertar a viver de acordo com nossos meios e a não sonhar com coisas que não temos condições de alcançar.

Nikola Tesla (1856-1943) foi um talentoso inventor, engenheiro, físico e futurista. Nascido no Império Austríaco, no território atual da Croácia, ele imigrou para os Estados Unidos em 1884, a fim de trabalhar com Thomas Edison. Com o auxílio de patrocinadores, logo criou os próprios laboratórios e companhias, a fim de desenvolver uma série de aparelhos elétricos. Sua mente brilhante “inventou, projetou ou contribuiu com o desenvolvimento de centenas de tecnologias que desempenham um importante papel em nossa vida diária – como o controle remoto, lâmpadas de neon e fluorescentes, transmissão sem fio, computadores, smartphones, raios laser, raios X e, é claro, a corrente alternada, a base para o sistema elétrico da atualidade” (Marissa Newhall).

Em 1901, ajudado por investidores, Tesla começou a construir um laboratório com uma usina elétrica e uma torre capaz de transmitir eletricidade e sinais sem fio, gratuitamente, para o mundo inteiro. Preocupados com a falta de lucro do projeto, aos poucos, os patrocinadores foram retirando o apoio financeiro. Para piorar, em 1917, o governo dos Estados Unidos demoliu a torre inacabada com medo de que espiões alemães a usassem para interceptar mensagens durante a Primeira Guerra Mundial. O grande inventor viveu seus últimos anos em isolamento social e pobreza. Morreu em 7 de janeiro de 1943, em um modesto quarto de hotel na cidade de Nova York.

Conforme alguém disse: “A distância entre seus sonhos e a realidade se chama ação.” Portanto, seja idealista e sonhe grandes coisas que possam ser conquistadas; trace projetos que não venham a cair; e viva dentro do seu orçamento, mesmo que isso signifique viver com simplicidade. – Alberto Timm, Um dia Inesquecível, MM 2018