Não tenho descanso, nem sossego, nem repouso, e já me vem grande perturbação.              – Jó 3:26

O passar do tempo, aparentemente, fez com que Jó passasse de uma atitude de calma resignação para o desespero, e não é para menos. Jó amaldiçoou o dia de seu nascimento (v.1). Até Jeremias amaldiçoou o dia de seu nascimento (Jeremias 20:14-18). Jó 3:3-26, apresenta um poema dividido em três estrofes:

  • v.3-10 – Jó amaldiçoa o dia de seu nascimento e a noite de sua concepção;
  • v.11-19 – Jó expressa o desejo de ter morrido antes de nascer;
  • v.20-26 – Jó pergunta: Por que Deus compele os homens a viver quando eles prefeririam morrer?

Jó não está apresentando lógica, mas extravasando os sentimentos apaixonados de uma alma sofredora. Ele deseja que aquele dia perecesse (v.3), se convertesse em trevas (v.4), que nem entrasse na conta dos meses (v.6), seja estéril aquela noite (v.7). “Por que não fechou as portas do ventre de minha mãe, nem escondeu dos meus olhos o sofrimento” (v.10). Desejava ter morrido ainda no ventre da mãe, ou ao sair dele (v.11), ou então que tivesse sido abortado (v.16), como crianças que nunca viram a luz.

Jó fala sobre o destino de todos, tanto pequeno como grande, e o servo livre de seu senhor, pois todos terão que enfrentar a morte (v.19). Deseja muito morrer, mas a morte foge dele (v.20-21). Satanás afirmara que Deus havia colocado uma cerca de proteção em torno de Jó (1:10). Jó afirma que Deus colocou uma cerca de aflição ao seu redor (v.23). Ele não sabia que na realidade fora Satanás quem colocara essa cerca de aflições em sua vida. Ao invés de poder comer seu pão tranquilamente, só lhe vinham gemidos de dor e de aflição (v.24). O que ele mais temia sobrevinha sobre ele, parecia que seu sofrimento era infindável (v.25).

Precisamos entender que este lamento todo partia de uma pessoa que havia perdido os filhos, suas riquezas, seus servos, e estava passando por uma doença terrível, em que se coçava com caco de telha, ou de cerâmica. “Não tenho descanso, nem sossego, nem repouso” (v.26). Mas, apesar de todo o sofrimento, Deus estava com ele. Pode não parecer, mas a intensão do inimigo era destruí-lo pois ele era uma referência à todos que o cercavam, e Deus não permitiu que o inimigo completasse seus planos.Jó e seu sofrimento (1)