O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor.    – Provérbios 16:1

Provérbios 16 é uma continuação dos provérbios de Salomão, que teve inicio em Provérbios 10 e vai até o 25, onde o autor fala sobre as virtudes morais e os vícios contrários as mesmas. O que se destaca neste capitulo é que o homem tem seus planos, mas o que prevalece é sempre a vontade de Deus.

1 Do homem são as preparações do coração, faz planos elaborados para a vida, mas é do SENHOR a resposta da língua, a última palavra.

2 Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o Senhor pesa o espírito, é Ele quem realmente define o que é bom.

3 Confia ao Senhor as tuas obras,o comando do seu trabalho,  e teus pensamentos, planos, serão estabelecidos.

4 O Senhor fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, ou propósitos, até o ímpio para o dia do mal, para o dia do julgamento.

5 Abominação é ao Senhor todo o altivo de coração, arrogante; não ficará impune mesmo de mãos postas, terão o que merecem.

6 Pela misericórdia e verdade a iniqüidade é perdoada, e pelo temor do Senhor os homens se desviam do pecado.

7 Sendo os caminhos do homem agradáveis ao Senhor, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele.

8 Melhor é o pouco com justiça, do que a abundância de bens com injustiça.

9 O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos, é Ele quem possibilita que sejam realizados.

10 Nos lábios do rei se acha a sentença divina, um bom líder motiva e tem autoridade; a sua boca não transgride quando julga, não conduz ao erro nem tira vantagem.

11 O peso e a balança justos são do Senhor, a honestidade no trabalho Lhe pertencem; obra sua são os pesos da bolsa, Ele está atento a tudo.

12 Abominação é aos reis praticarem impiedade, o bom líder detesta todo tipo de injustiça, porque com justiça é que se estabelece o trono, que a liderança se fundamenta.

13 Os lábios de justiça são o contentamento dos reis, todo líder se alegra com a honestidade; eles amarão o que fala coisas retas, os que falam a verdade.

14 O furor do rei é mensageiro da morte, é uma ameaça para os seus próprios liderados, mas o homem sábio o apaziguará, o que é inteligente saberá contornar a situação.

15 No semblante iluminado do rei está a vida, o líder paciente revigora a vida dos liderados; e a sua benevolência é como a nuvem da chuva serôdia.

16 Quão melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! e quão mais excelente é adquirir a prudência do que a prata! Prefira o entendimento do que muito tesouro.

17 Os retos fazem o seu caminho desviar-se do mal; o que guarda o seu caminho preserva a sua alma.

18 A soberba, o orgulho precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. Quanto maior é o ego, maior é o tombo.

19 Melhor é ser humilde de espírito com os mansos, do que repartir o despojo com os soberbos, ser rebelde e viver entre os ricos e famosos.

20 O que atenta prudentemente para o assunto achará o bem, vale a pena levar a vida a sério;  e o que confia no Senhor será bem-aventurado.

21 O sábio de coração será chamado prudente, é reconhecido pelo entendimento; e a doçura dos lábios aumentará o ensino, terá mais poder de persuasão.

22 O entendimento para aqueles que o possuem, é uma fonte de vida;                              mas a instrução dos tolos é a sua estultícia.

23 O coração do sábio instrui a sua boca, pensa muito antes de sair falando, e aumenta o ensino dos seus lábios, pois quando fala, todos lhe dão razão.

24 As palavras suaves são como favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos, energia para o corpo.

25 Há um caminho que parece direito ao homem, parece inofensivo; todo cuidado é pouco, pois o seu fim são os caminhos da morte.

26 O trabalhador trabalha para si mesmo, seu apetite o incentiva para o trabalho, porque a sua boca o incita, a fome incentiva o trabalho intenso.

27 O homem ímpio cava o mal, só pensa em prejudicar a outros, e nos seus lábios há como que uma fogueira, provocando muita dor aos demais.

28 O homem perverso instiga a contenda, sempre provoca a briga; e o intrigante, o fofoqueiro, separa os maiores amigos.

29 O homem violento, insensível  coage o seu próximo, trai os amigos; e o faz deslizar por caminhos nada bons. Ele é capaz de apunhalar a mãe pelas costas.

30 O que fecha os olhos para imaginar coisas ruins, ao cerrar os lábios pratica o mal, seus lábios cerrados dão indício de confusão..

31 Coroa de honra são as cãs, o cabelo grisalho merece especial atenção; quando elas estão no caminho da justiça, recebe o prêmio por sua vida leal a Deus.

32 Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, o valentão,  e o que controla o seu ânimo do que aquele que toma uma cidade.

33 A sorte se lança no regaço, mas do Senhor procede toda a determinação.

Não é desejo do Senhor que as pessoas decidam todos os assuntos, usando o procedimento de lançar sortes. Quando há boas evidência ou um princípio pertinente para guiar a mente na tomada de uma decisão, o uso da sorte enfraquece tanto a mente quanto o caráter. Esse método só deve ser escolhido se deus assim o direcionar de maneira específica;  do contrário, não pode haver garantia de uma resposta inspirada.