Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena. – Provérbios 24:10

Em Provérbios 24, Salomão seleciona mais alguns conselhos úteis para aqueles que desejam andar nos caminhos do Senhor, e não permitir que as ciladas do mundo o derrubem. Mas, se cair, ele diz que por sete vezes cairá o justo e se levantará, mas os perversos, ao caírem, não conseguirão se reeguer.

  • Não tenhas inveja dos homens malignos, nem desejes estar com eles. Porque o seu coração medita a rapina, e os seus lábios falam a malícia. A empolgação das atividades de quem não tem escrúpulos exerce forte atração sobre os jovens que pensam erroneamente que a bondade é entediante. Essa amizade leva a perder os altos padrões morais, a reputação sofre nesse relacionamento com más companhias, e os espectadores inocentes sofrerão perversidades (v.1-2);
  • Com a sabedoria se edifica a casa, e com o entendimento ela se estabelece; e pelo conhecimento se encherão as câmaras com todos os bens preciosos e agradáveis. A família só pode ser abençoada e protegida mediante a sabedoria verdadeira, que implica temer a Deus e guardar os Seus mandamentos (v.3-4);
  • O homem sábio é forte, e o homem de conhecimento consolida a força. Com conselhos prudentes tu farás a guerra; e há vitória na multidão dos conselheiros. O sábio é melhor do que o forte. A estratégia é a chave para a guerra (v.5-6);
  •  A sabedoria é demasiadamente alta para o tolo, na porta não abrirá a sua boca. Suas ações não são ditadas pela razão, mas, sim, pelo desejo. Na reunião dos sábios, ele não tem nenhuma contribuição a fazer (v.7);
  • Àquele que cuida em fazer mal, chamá-lo-ão de pessoa danosa. O pensamento do tolo é pecado, e abominável aos homens é o escarnecedor. Ele é o chefe dos malandros, mas será considerado insensato, pois busca algo que nunca lhe dará satisfação duradoura, nem ganho permanente (v.8-9);
  • Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena. Quando chegam os problemas, o indivíduo precisa reunir todas as forças para a batalha. A falha em reagir à emergência, ou enfrentá-la com fraqueza e sem prontidão, é reduzir o próprio poder e convidar a derrota (v.10);
  • Se tu deixares de livrar os que estão sendo levados para a morte, e aos que estão sendo levados para a matança; se disseres: Eis que não o sabemos; porventura não o considerará aquele que pondera os corações? Não o saberá aquele que atenta para a tua alma? Não dará ele ao homem conforme a sua obra? O servo de Deus deve fazer tudo que puder para livrar os arrastados para a morte, subentendendo-se que foram condenados injustamente. Também deve ser feito tudo que estiver ao nosso alcance, para afastar as vítimas de seu hábito de autodestruição e usar todos os meios legais para impedir que os vendedores de bebidas alcoólicas lucrem com a destruição de outras pessoas (v.11-12);
  • Come mel, meu filho, porque é bom; o favo de mel é doce ao teu paladar. Assim será para a tua alma o conhecimento da sabedoria; se a achares, haverá galardão para ti e não será cortada a tua esperança. Assim como o mel tem gosto agradável e é bom para fortalecer o corpo, a sabedoria é saborosa e fortalecedora para a alma ou o caráter. (v.13-14);
  • Não armes ciladas contra a habitação do justo, ó ímpio, nem assoles o seu lugar de repouso, porque sete vezes cairá o justo, e se levantará; mas os ímpios tropeçarão no mal. Os perversos sentem inveja dos fiéis seguidores de Deus, e procuram levar os justos a pecar. Os justos podem sofrer calamidades, mas Deus intervém para salva-los, quantas vezes for necessário (v.15-16);
  • Quando cair o teu inimigo, não te alegres, nem se regozije o teu coração quando ele tropeçar; para que, vendo-o o Senhor, seja isso mau aos seus olhos, e desvie dele a sua ira. Devemos mostrar amor pela humanidade perdida que Deus busca salvar, não destruir, e, como Ele, nos entristecer com o destino daqueles que escolheram se opor ao que é certo (v.17-18);
  • Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos ímpios, porque o homem maligno não terá galardão, e a lâmpada dos ímpios se apagará. Não inveje a prosperidade dos ímpios, pois eles não terão bom futuro, caminham para um beco sem saida (v.19-20);
  • Teme ao Senhor, filho meu, e ao rei, e não te ponhas com os que buscam mudanças, porque de repente se levantará a sua destruição, e a ruína de ambos, quem o sabe? Cuidado com os rebeldes, vejam os seus motivos, tomem o partido certo, para não receber os mesmos castigos, que virão, de forma inesperada e com força esmagadora (v.21-22);
  • Também estes são provérbios dos sábios: Ter respeito a pessoas no julgamento não é bom. Parece que aqui terminam uma série de conselhos, para começar uma nova etapa de novos conselhos (v.23);
  • O que disser ao ímpio: Justo és, os povos o amaldiçoarão, as nações o detestarão. Mas para os que o repreenderem haverá delícias, e sobre eles virá a bênção do bem. Ao liberar um delinquente, os juízes estão deturpando odas as ideias de bem e mal, incentivando os jovens a crescer sem respeito pela lei e a ordem. Já os que são justos em seus julgamentos, desfrutam a sensação de dever cumprindo (v.24-25);
  • Beijados serão os lábios do que responde com palavras retas. Quando os líderes falam palavras justas, elas são tão agradáveis quanto um beijo (v.26);
  • Prepara de fora a tua obra, e aparelha-a no campo, e então edifica a tua casa. Para os que planejam se casar, a sequência lógica é que o noivo precisar se estabelecer, cuidando de uma fazenda com a capacidade de suprir as necessidades de uma família, para então pedir a moça em casamento (v.27);
  • Não sejas testemunha sem causa contra o teu próximo; e não enganes com os teus lábios. Não digas: Como ele me fez a mim, assim o farei eu a ele; pagarei a cada um segundo a sua obra. Ninguém pode dizer coisas contra o próximo sem fundamento de verdade. Mesmo que ele tenha testemunhado falsamente contra você, a vingança não nos pertence (v.28-29);
  • Passei pelo campo do preguiçoso, e junto à vinha do homem falto de entendimento, Eis que estava toda cheia de cardos, e a sua superfície coberta de urtiga, e o seu muro de pedras estava derrubado. O que eu tenho visto, o guardarei no coração, e vendo-o recebi instrução. Um pouco a dormir, um pouco a cochilar; outro pouco deitado de mãos cruzadas, para dormir, Assim te sobrevirá a tua pobreza como um vagabundo, e a tua necessidade como um homem armado. O campo e a vinha eram as duas principais fontes de alimento e lucro do agricultor palestino. Um campo negligenciado logo é tomado por plantas que sufocam a lavoura e das quais é difícil se livrar. A habilidade de observar as cenas a seu redor e de aprender lições com o que vê, que transformam o homem tornando-o mais sábio (v.30-34).

Nestes últimos versículos pode-se tirar uma lição no campo espiritual: Embora somente o Espírito Santo possa capacitar a vencer o pecado, Ele não pode fazer nada sem o consentimento e cooperação humanos. Deve-se avançar na força que o Espírito de Deus transmite, erradicando os maus pensamentos.