Naquela mesma noite, apareceu Deus a Salomão e lhe disse: Pede-me o que queres que Eu te dê. […] Dá-me, pois, agora, sabedoria e conhecimento. 2 Crônicas 1:7, 10

Como alguém pode ser, ao mesmo tempo, uma pessoa dedicada à ciência e um homem de Deus? Esse foi o caso do afro-americano George Washington Carver (c. 1864-1943). De origem humilde, ele construiu uma carreira bem-sucedida como botânico e inventor. Seu costume era começar o dia com uma oração, pedindo a Deus que lhe revelasse os mistérios sobre as plantas. Conta-se que, certa vez, Carver orou: “Senhor Criador, mostra-me os segredos do Teu Universo”. Ao que Deus respondeu: “Homenzinho, você não é grande o bastante para conhecer os segredos do Meu Universo, mas Eu lhe mostrarei os segredos do amendoim.”

Carver descobriu mais de 300 usos para o amendoim, incluindo vários tipos de comidas, óleo, tinta de pintura e de caneta, sabão, xampu, creme facial e plástico. Também encontrou mais de cem produtos extraídos da batata-doce, incluindo farinha, amido e borracha sintética. Por ser um especialista de renome mundial nas áreas de botânica e agricultura, Mahatma Gandhi e Joseph Stalin procuraram seus conselhos. Thomas Edison e Henry Ford o convidaram a trabalhar para eles. Entretanto, o cientista preferiu permanecer no próprio laboratório, que ele chamava de “pequena oficina de Deus”, e dali ajudar outras pessoas.

Ele poderia ter juntado uma riqueza considerável ao patentear suas descobertas, mas decidiu deixá-las sem patente, para que os pobres pudessem fabricar os produtos descobertos por meio de seu trabalho sem precisar pagar por isso. Carver morreu em 5 de janeiro de 1943, deixando-nos um exemplo de serviço altruísta. O epitáfio de sua sepultura no campus da Universidade Tuskegee diz: “Ele poderia ter acrescentado fortuna à sua fama, mas, sem se importar com nada disso, encontrou felicidade e honra em ser útil ao mundo.”

Qual é a motivação de nossa vida? O mesmo rei Salomão, que pediu a Deus que lhe concedesse “sabedoria e conhecimento” (2Cr 1:7-10), também declarou que “mais vale o bom nome do que as muitas riquezas” (Pv 22:1). Os exemplos de altruísmo do bom samaritano (Lc 10:25-37), de Dorcas (At 9:36-39) e de George Washington Carver não deveriam permanecer apenas como monumentos do passado para ser admirados. Em vez disso, devem nos motivar a superar nossas tendências egocêntricas e a viver de maneira altruísta para o bem da humanidade.

Pela graça de Deus, você também pode fazer a diferença!