As leis que Deus impôs à natureza são por ela obedecidas. Nuvens e tempestades, Sol e chuva, orvalho e aguaceiros, todos estão sob a supervisão de Deus e obedecem às Suas ordens. Em obediência à Lei de Deus, a haste do cereal rompe a terra, “primeiro, a erva, depois, a espiga, e por último, o grão cheio na espiga”. Marcos 4:28. O fruto se vê primeiro no botão, e o Senhor o desenvolve em seu tempo próprio, porque ele não resiste à Sua operação. Assim também as aves cumprem o propósito de Deus, ao fazerem suas longas migrações de uma terra à outra, guiadas através do desconhecido espaço pela mão de poder infinito.
Será possível que o homem, feito à imagem de Deus, dotado de raciocínio e do dom da fala, seja o único que não avalie os Seus dons e que seja desobediente às Suas leis? Hão de os que poderiam ser elevados e enobrecidos, habilitados a ser coobreiros Seus, contentar-se com permanecer imperfeitos no caráter e causar confusão em nosso mundo? Deverão o corpo e alma da herança adquirida por Deus ser embaraçados por hábitos mundanos e práticas ímpias? Não deverão eles refletir a formosura dAquele que todas as coisas fez bem, a fim de que por Sua graça o imperfeito homem pudesse afinal ouvir-Lhe a bênção: “Bem está, servo bom e fiel; … entra no gozo do teu Senhor.” Mateus 25:21.
Deus deseja que aprendamos da natureza a lição da obediência.
“Mas, pergunta agora às alimárias,
E cada uma delas to ensinará;
E às aves dos céus, e elas to farão saber;
Ou fala com a terra, e ela to ensinará; Até os peixes do mar to contarão.
Quem não entende por todas essas coisas
Que a mão do Senhor fez isto?”
“Com Ele está a sabedoria e a força;
Conselho e entendimento tem.” – Jó 12:7-9, 13.451abab10ab055947ca329b03b35289c
“Bem-aventurado o homem” que… “o seu prazer está
na lei do Senhor. …
Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas,
Que, no devido tempo, dá o seu fruto,
E cuja folhagem não murcha;
E tudo quanto ele faz será bem-sucedido.”  – Salmos 1:1-3.
O livro da natureza e a Palavra escrita projetam luz mutuamente sobre si. Ambos nos tornam mais familiarizados com Deus, dando-nos ensinamentos acerca de Seu caráter e das leis pelas quais Ele opera.
– EGW, Testemunhos para a Igreja, vol.8, p.328aguia-voando