Tomou, então, Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e lhe chamou Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o Senhor. 1 Samuel 7:12

Longânimo e misericordioso como somente Ele é, em dois confrontos entre israelitas e filisteus o Senhor é visto dando a Seu povo mais uma chance de arrependimento. Isso não os livrou de sofrer anteriormente grandes perdas. Nos dois combates disputados nas proximidades de Ebenézer, lugar cujo nome significa “a pedra de ajuda”, a rebeldia do povo bloqueou a ajuda de Deus. O resultado foi a matança de 34 mil israelitas, incluindo os dois filhos do sacerdote Eli, e o sequestro da arca – símbolo da presença divina entre eles. Posteriormente, ela foi devolvida por causa dos juízos de Deus sobre os inimigos. Apesar disso, Israel não se voltou completamente para o Senhor.

A resposta do povo de Deus ao chamado para o reavivamento convocado pelo novo líder Samuel atiçou os filisteus. Enquanto os israelitas estavam reunidos em Mispa, os filisteus decidiram atacá-los; porém, naquela ocasião, o episódio teve outro desfecho. “Tomou, então, Samuel uma pedra, e a pôs entre Mispa e Sem, e lhe chamou Ebenézer, e disse: Até aqui nos ajudou o Senhor.” Aquela havia sido uma ocasião especial e jamais poderia ser esquecida, razão pela qual o memorial foi erigido. Ele remetia a lembrança ao passado. Em nenhum momento o Senhor havia abandonado Seu povo escolhido.

Na experiência dos israelitas no Antigo Testamento, a frase “Deus não desiste de você”, frequentemente repetida entre nós, estava impressa em vívidos tons de realidade. Não foi por falha nem indiferença da parte de Deus que as batalhas anteriores foram perdidas. O Senhor estava lá, ensinando-lhes as lições que precisavam aprender, despertando neles o profundo anseio de maior dependência e consagração a Ele. O memorial implicava também certeza para o futuro, desde que não recuassem de sua entrega total ao Senhor. A história não terminava ali, e Deus continuaria sempre a postos para intervir em favor deles.

Essa é nossa experiência. Apesar do que nos tenha acontecido nos altos e baixos da vida, o fato de que estamos vivos proclama: “Até aqui nos ajudou o Senhor!” Quanta segurança isso nos transmite! Nossa história continua sendo escrita. Haverá mais razões para sorrir e chorar, mais lutas e triunfos, tentações a serem vencidas e provas a suportar, mas o monumento de gratidão que erguemos em nosso coração pelas conquistas do passado nos aponta que Aquele que nos ajudou até aqui é o mesmo Deus de sempre.

Zinaldo A. Santos, De Coração a Coração, MM 2020, CPB

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA