PEDIDO INSISTENTE – MM 2019

0
231

Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que Eu te mostrarei. Gênesis 22:2

A falta de filhos era motivo de vergonha e sofrimento para Abraão. Vergonha, porque parecia que Deus não o abençoava; sofrimento, por não ter um filho que pudesse continuar a linhagem da família.

Deus tinha um plano maior. Abraão ainda tentou “ajudar” ao se envolver com Agar. Contudo, Deus não faz promessas pela metade. Quando a velhice de Abraão não oferecia muita esperança sobre a possibilidade da paternidade, Deus fez o milagre. Isaque nasceu de Sara, sua esposa legítima.

Deus mexeu fundo com o coração do patriarca. Em Gênesis 12, Ele insistiu três vezes para que Abraão deixasse sua terra. No capítulo 22, insistiu três vezes também para que Abraão sacrificasse Isaque. No capítulo 12, o patriarca é levado a abandonar o passado; no capítulo 22, Deus pede que ele dê adeus a seu futuro.

O sacrifício de Isaque foi um pedido insistente de Deus. Na ordem divina, três pontos dolorosos são destacados. O Senhor disse: (1) “Toma teu filho”. Coisa terrível para um pai é sacrificar o próprio filho. (2) “Teu único filho”. Isaque era o único filho de Abraão. Perdê-lo significaria ficar sem seu bem mais precioso. (3) O Senhor acrescentou: “o filho a quem amas”. Sem dúvida, esse aspecto partiu o coração do velho pai. Deus pediu o que Abraão mais amava na vida.

Havia três razões para esses três aspectos do estranho pedido de Deus.
O Senhor quis provar o tamanho da fé e entrega de Abraão. Pretendeu que Abraão experimentasse o que Deus sentiria ao sacrificar o próprio filho, oferecendo uma ilustração mais real do sacrifício de Jesus. E, ainda mais forte: Deus pediu o que estava ocupando o centro do coração de Seu servo. Era o que ele tinha de mais importante e que havia se tornado sua prioridade. J. Oswald Sanders afirma que “não era Isaque que Deus queria, mas Abraão”.

Quando alguma coisa, por mais justa que seja, começa a ocupar o centro da vida e o lugar que pertence a Deus, Ele pede que seja colocada no altar de sacrifício. É o momento da prova, mas também a oportunidade de salvação. Há alguma coisa que você esteja precisando sacrificar para Deus?

Erton Köhler, Nossa Esperança, MM 2019, CPB

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA