Teus são os céus, tua, a terra; o mundo e a sua plenitude, tu os fundaste. – Salmo 89:11

O Salmo 89 tem sido chamado de salmo da aliança. Ele recorda a promessa de que o trono de Davi seria estabelecido eternamente e então expressa preocupação sobre o fato de que Deus aparentemente quebrou a aliança. O salmista parece certo de que, a despeito das aparências, a promessa feita a Davi seria, por fim, restaurada.

– Tônica de louvor:

  • Teu amor, ó Deus, é minha canção, e eu o cantarei! Para sempre testemunharei tua fidelidade. Nunca desistireis de contar a história do teu amor – sobre como construíste o Universo e garantiste a subsistência de tudo. Teu amor sempre foi o alicerce da nossa vida; tua fidelidade, o telhado sobre o nosso mundo. Declaraste: “Juntei forças com meu líder escolhido, penhorei minha palavra ao meu servo Davi: Farei seu governo sólido e duradouro como uma rocha” (v.1-4).

– Exaltação a Deus:

  • Que os céus e a terra louvem teus maravilhosos caminhos, e o coral dos santos anjos cante hinos aos teus fiéis caminhos! Procurem em todos os cantos, examinem os céus e a terra, e não se encontrará ninguém como o Senhor… quem é como tu, poderoso e fiel de todos os ângulos? Controlas os mares, descartas teus inimigos com um tapa… Com teu braço musculoso e teus dedos de aço – ninguém ousa de desafiar! O direito e a justiça são as raízes do teu governo; o amor e a verdade, os teus frutos… Tudo o que somos e temos devemos ao Eterno, Santo Deus de Israel, nosso Rei! (v.5-18);
  • Há muito tempo, falaste numa visão ao teu fiel amado: Coroei um herói, escolhi o melhor que pude achar: Davi, meu servo. Ungi com óleo sua cabeça, minha mão o protege constantemente… nenhum inimigo terá vantagem sobre ele… exterminarei os que o odeiam. Eu o separei como o primeiro da linhagem real. Eu o preservarei eternamente em meu amor e fielmente cumprirei o que solenemente prometi. Preservarei sua árvore genealógica e subscreverei seu governo. Mas, se seus descendentes se recusarem a fazer o que digo, recusando-se a andar no caminho que eu mostrar; se menosprezarem minhas instruções e quebrarem as regras que eu instituir, esfregarei o rosto deles na sujeira de sua rebeldia, e eles sofrerão as consequências. Mas nunca os expulsarei, nunca os abandonarei ou repudiarei. Alguém acha que eu voltaria atrás em minha santa promessa ou que retiraria as palavras que já falei? Alguém acha que eu mentiria para Davi? Sua árvore genealógica estará aqui para sempre, sua soberania tão certa como o sol, segura como as fases da Lua, inescapável como o clima (v.19-37).

– Queixa pela aparente falha das promessas de Deus:

  • Mas tu, ó deus, de fato nos abandonaste, perdeste a paciência com aquele que ungiste. Rasgaste a promessa que fizeste ao teu servo, jogaste sua coroa na lama. Impediste a casa dele de reinar, reduziste sua cidade a um monte de entulhos, que é saqueada por estrangeiros, uma piada para os povos vizinhos. Irado te opuseste a ele na batalha, te recusaste a lutar a seu lado… Tomaste os melhores anos da vida dele e o deixaste impotente, arruinado (v.38-45).

– Súplica pelo cumprimento das promessas e restauração do favor de Deus:

  • Por quanto tempo aguentaremos isso, ó Deus? Foste embora de vez? Guardarás rancor para sempre? Lembra-te do meu lamento e de como a vida é curta. Criaste os homens e mulheres só para isso? Veremos a morte cedo demais. Todos verão… Então, onde está o amor que o fez tão conhecido? O que aconteceu com tua promessa a Davi? Olha para teus servos, querido Senhor! Sou alvo das piadas de todas as nações, das zombarias dos nossos inimigos, ó Deus, enquanto eles perseguem os passos do teu ungido amado (v.46-51);
  • Bendito seja o Eterno para sempre e sempre! Amém e amém.

O salmista parece levar no coração as reprovações de todo o Israel. Como Moisés, o salmista sentia que os fardos de todo o povo repousavam sobre ele, tanto que já não conseguia suportar o peso. Mas ele não perde a confiança no Deus Todo Poderoso e em suas promessas.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA