Da­rei a eles um coração não dividido e porei um novo espírito dentro deles; retirarei deles o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. Então agirão segundo os meus decretos e serão cuidadosos em obedecer às minhas leis. Eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. – Ezequiel 11:19-20

Em Ezequiel 11, fala sobre a presunção dos príncipes, seus pecados e os juízos que seriam executados sobre eles. Ezequiel se queixa, e Deus lhe mostra Seu propósito de salva um remanescente e punir os ímpios. A glória de Deus deixa a cidade. Ezequiel retorna ao local do cativeiro, após sua visão.

Julgamento contra os líderes de Israel: 

Então o Espírito me ergueu e me levou para a porta do templo do Senhor que dá para o oriente. Ali, à entrada da porta, havia 25 homens, e vi entre eles Jazanias (Yahweh ouve), filho de Azur (o que é ajudado), e Pelatias (Yahweh liberta), filho de Benaia (Yahweh edifica), líderes do povo. O Senhor me disse: Filho do homem, estes são os homens que estão tramando o mal e dando maus conselhos nesta cidade. Eles dizem: “Não acham que é uma boa hora para construir casas? Esta cidade é uma panela de ferro, e nós somos a carne e estamos seguros dentro dela”. Por­tanto, profetize contra eles; profetize em alta voz, filho do homem. (v.1-4)
Então o Espírito do Senhor veio sobre mim e mandou-me dizer: Assim diz o Senhor: É isso que vocês estão dizendo, ó nação de Israel, mas eu sei em que vocês estão pensando.  Vocês mataram muita gente nesta cidade e encheram as suas ruas de cadáveres. (v.5-6)
Portanto, assim diz o Soberano, o Senhor: Os corpos que vocês jogaram nas ruas são a carne, e esta cidade é a panela, mas eu os expulsarei dela. Vocês têm medo da espada, e a espada é o que trarei contra vocês. Palavra do Soberano, o Senhor. Eu os expulsarei da cidade e os entregarei nas mãos de estrangeiros e os castigarei. Vocês cairão à espada, e eu os julgarei nas fronteiras de Israel. Então vocês saberão que eu sou o Senhor. Esta cidade não será uma panela para vocês, nem vocês serão carne dentro dela; eu os julgarei nas fronteiras de Israel. E vocês saberão que eu sou o ­Senhor, pois vocês não agiram segundo os meus decretos nem obedeceram às minhas leis, mas se conformaram aos padrões das nações ao seu redor. Ora, enquanto eu estava profetizando, Pelatias, filho de Benaia, morreu. Então prostrei-me com o rosto em terra, e clamei em alta voz: “Ah! Soberano Senhor! Destruirás totalmente o remanescente de Israel?” (v.7-13)
Esperança para Israel no exílio:
Esta palavra do Senhor veio a mim: Fi­lho do homem, seus irmãos, que ainda restam em Jerusalém, falam de você, de seus parentes e de todo o povo de Israel que está no exílio. Dizem: “Eles estão longe do Senhor. É a nós que esta terra foi dada, para ser nossa propriedade”. (v.14-15)
Portanto diga: Assim diz o Soberano, o Senhor: Embora eu os tenha mandado para terras muito distantes entre os povos e os tenha espalhado entre as nações, por breve período tenho sido um santuário para eles nas terras para onde fo­ram. Portanto, diga: Assim diz o Soberano, o Senhor: Eu os ajuntarei dentre as nações e os trarei de volta das terras para onde vocês foram espalhados, e lhes devolverei a terra de Israel. (v.16-17)
Eles voltarão para ela e retirarão todas as suas imagens repugnantes e os seus ídolos detestáveis. Da­rei a eles um coração não dividido e porei um novo espírito dentro deles; retirarei deles o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. Então agirão segundo os meus decretos e serão cuidadosos em obedecer às minhas leis. Eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus. Mas, quan­to àqueles cujo coração está afeiçoado às suas imagens repugnantes e aos seus ídolos detestáveis, farei cair sobre a sua cabeça os seus pecados. Palavra do Soberano, o Senhor. (v.18-21)
A glória do Senhor deixa Jerusalém:
Então os querubins, com as rodas ao lado, estenderam as asas, e a glória do Deus de Israel estava sobre eles. A glória do Senhor se levantou da cidade e parou sobre o monte que fica a leste dela. Então o Espírito de Deus ergueu-me e em visão levou-me aos que estavam exilados na Babilônia. Findou-se então a visão que eu havia tido, e contei aos exilados tudo o que o Senhor tinha me mostrado. (v.22-25)

Apenas os que tem o coração renovado pela graça divina podem guardar a lei de Deus. A promessa de poder capacitador através da habitação interior do Espírito Santo era uma característica essencial da eterna aliança de Deus com a humanidade. Mas o povo judeu creram que a salvação pode ser conseguida por seus próprios esforços. Acharam que estariam livres do fogo, como a carne dentro da panela, enquanto seus irmãos estavam no cativeiro em Babilônia. Deus gostaria que todos fossem salvos, mas Ele não força a nossa vontade. Por isso que poucos serão salvos, pois poucos escolhem andar nos caminhos de Deus.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA