Os filhos de Obede-Edom… Peuletai, o oitavo; porque Deus o tinha abençoado.                     – I Crônicas 26:4-5

Este capítulo descreve os 24 turnos de porteiros ou vigias (v.1-19), os supervisores dos tesouros do santuário (v.20-28) e os oficiais encarregados dos “negócios externos”, tais como oficiais e juízes (v.29-32). Obede-Edom (v.4), um dos porteiros da arca quando ela foi levada pela primeira vez a Jerusalém (I Crônicas 15:24). É possível que fosse o “geteu”, em cuja casa Davi deixou a arca por um tempo após a morte de Uzá (I Crônicas 13:13).

Como o “SENHOR abençoou a casa de Obede-Edom e tudo o que ele tinha” ( I Crônicas 13:14), é possível que a referência a Peuletai (recompensa de Yahweh), faça parte das bênçãos dadas por Deus ao seu pai e sua casa. Foram escolhidos homens valentes ou habilidosos (v.6-90), e a eles foram entregues os turnos dos porteiros, isto é, a seus chefes, foi entregue a guarda, para servirem, como seus irmãos, na Casa do SENHOR (v.12).

Foram sorteados os locais de trabalho para os grupos, e um deles estaria do lado do oriente, onde ficava a porta de honra, pois o santuário dava para o leste (v.14). A cada de depósitos ou do tesouro, caiu sobre Obede-Edom e seus filhos (v.15). Também havia a guarda da porta de Salequete (porta dos resíduos), por onde eram retirados os dejetos do templo (v.16).

Quanto aos levitas separados para os “negócios externos”, seu trabalho consistia em desempenhar responsabilidades como “oficiais e juízes”. Já nos dias de Moisés, atribuíram-se aos sacerdotes deveres de juízes. Também eram responsáveis pelo recebimento do dízimo, do dinheiro do resgate e ofertas voluntárias do povo. O ensino religioso também fazia parte de suas atribuições (v.30).

Davi tomou providências para que tudo funcionasse com harmonia, escolhendo líderes capazes para todas as funções no tabernáculo. Uma preocupação que deve ser passada a todas as pessoas responsáveis pela escolha de líderes da igreja de Deus.o-servico-dos-levitas-no-templo