O crisol prova a prata, e o forno, o ouro; mas aos corações prova o Senhor.                        – Provérbios 17:3

Em Provérbios 17 Salomão dá sequência a sua lista de virtudes morais acompanhadas dos vícios dos desobedientes à Palavra de Deus, mas agora ele dá um enfoque maior as resoluções erradas que as pessoas tomam, e as suas consequências.

  1. É melhor um bocado seco, um bocado de pão com água e com ele a tranqüilidade, do que a casa cheia de iguarias, um banquete e com ele a desavença.
  2. O servo prudente dominará sobre o filho que faz envergonhar, saberá lidar com o filho difícil; e repartirá a herança entre os irmãos, será honrado pela família.
  3. O crisol é para a prata, e o forno para o ouro, ambos são provados pelo fogo; mas o Senhor é quem prova os corações.
  4. O ímpio atenta para o lábio iníquo, conversas maliciosas; o mentiroso inclina os ouvidos à língua maligna, coçam por uma fofoca.
  5. O que escarnece, zomba do pobre insulta ao seu Criador; o que se alegra da calamidade, faz festa para a desgraça, não ficará impune.
  6. A coroa dos velhos são os filhos dos filhos, seus netos são o reconhecimento á sua vida; e a glória dos filhos são seus pais. Serve de influência estabilizadora na família e na nação.
  7. Não convém ao tolo a fala excelente, não se espera eloquência de um insensato; quanto menos ao príncipe, ao líder, o lábio mentiroso.
  8. O presente, o suborno, é, aos olhos dos que o recebem, como pedra preciosa; para onde quer que se volte servirá de proveito.
  9. Aquele que encobre a transgressão busca a amizade, esquece a ofensa e mantém a amizade; mas o que revolve o assunto, insiste na ofensa, separa os maiores amigos.
  10. A repreensão penetra mais profundamente no prudente do que cem açoites no tolo. Este leva a maior paulada e nem se importa.
  11. Na verdade o rebelde não busca senão o mal; afinal, um mensageiro cruel será enviado contra ele, eles não perdem por esperar.
  12. Encontre-se o homem com a ursa roubada dos filhos, mas não com o louco na sua estultícia. É melhor encontrar uma ursa que teve os filhotes roubados que um insensato em sua loucura.
  13. Quanto àquele que paga o bem com o mal, não se apartará o mal da sua casa, receberá o troco, pois nunca terá sossego.
  14. Como o soltar das águas, como um vazamento em uma represa, é o início da contenda, assim, antes que sejas envolvido afasta-te da questão.
  15. O que justifica o ímpio, e o que condena o justo, tanto um como o outro são abomináveis ao Senhor.
  16. De que serviria o preço, o dinheiro, na mão do tolo para comprar sabedoria, visto que não tem entendimento? Ele não saberia o que fazer com ela.
  17. Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão. Na hora dos problemas ele é sempre um ombro amigo.
  18. O homem falto de entendimento compromete-se, é tolice ser irresponsável com a vida financeira, ficando por fiador na presença do seu amigo. Acumular dividas que nunca se pode pagar é muita loucura.
  19. O que ama a transgressão ama a contenda, o que namora o pecado se casa com a confusão; o que exalta a sua porta, deixa a arrogância subir a cabeça, busca a ruína.
  20. O perverso de coração jamais achará o bem; e o que tem a língua dobre, conversa traiçoeira, vem a cair no mal.
  21. O que gera um tolo para a sua tristeza o faz; e o pai do insensato não tem alegria nenhuma.
  22. O coração alegre é como o bom remédio para a saúde, mas o espírito abatido seca até os ossos, esgota as forças.
  23. O ímpio toma presentes em secreto, recebe suborno por baixo dos panos, para perverter as veredas da justiça.
  24. No rosto do entendido se vê a sabedoria,eles andam de mãos dadas; mas os olhos do tolo vagam pelas extremidades da terra.
  25. O filho insensato é tristeza para seu pai, causa muito sofrimento, e amargura para aquela que o deu à luz.
  26. Também não é bom punir o justo, castigar o bom comportamento é um absurdo, nem tampouco ferir aos príncipes por equidade.
  27. O que possui o conhecimento guarda as suas palavras, fala pouco, e o homem de entendimento é de precioso espírito, sabe manter a calma.
  28. Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido. Quem sabe ficar calado é tido por entendido.

Entre os dizeres de Salomão, podemos selecionar alguns que são verdadeiras pérolas para os que andam nos caminhos de Deus. Um coração feliz e regozijante, alegre no Senhor, mesmo em meio a problemas ou doenças, libera as forças que acalentam e fortalecem tanto a mente quanto o corpo. Ela faz o que os remédios não conseguem (v.22). Uma outra pérola é que o planejamento sábio para os filhos e netos, junto com o respeito apropriado aos pais, serve de influência estabilizadora na família e na nação (v.6). Um dos itens negativos apresentados por Salomão, e que está em voga no Brasil é o suborno, que faz brilhar os olhos do indivíduo que o recebe com tanta intensidade que ele trabalha duro para se tornar digno do presente ou para obter ainda mais benefícios (v.8, 23). Pecam tanto quem o dá, como quem o recebe.