Veio a mim esta palavra do Senhor: Filho do homem, você vive no meio de uma nação rebelde. Eles têm olhos para ver, mas não vêem, e ouvidos para ouvir, mas não ouvem, pois são uma nação rebelde. – Ezequiel 12:1-2

Em Ezequiel 12, o profeta simula uma viagem simbolizando o cativeiro do rei Zedequias. Ezequiel treme ao se alimentar para mostrar a assolação dos judeus. O presunçoso provérbio dos judeus é reprovado. O rápido cumprimento da visão.

Sinais do exílio que está para acontecer:

Veio a mim esta palavra do Senhor: Filho do homem, você vive no meio de uma nação rebelde. Eles têm olhos para ver, mas não vêem, e ouvidos para ouvir, mas não ouvem, pois são uma nação rebelde. (v.1-2)
Portanto, filho do homem, arrume sua bagagem para o exílio e, durante o dia, à vista de todos, parta, e vá para outro lugar. Talvez eles compreendam, embora sejam uma nação rebelde. Durante o dia, sem fugir aos olhares do povo, leve para fora os seus pertences arrumados para o exílio. À tarde, saia como aqueles que vão para o exílio. E que os outros o vejam fazer isso. Enquanto eles o observam, faça um buraco no muro e passe a sua bagagem através dele. Ponha-a nos ombros, enquanto o povo estiver observando, e carregue-a ao entardecer. Cubra o rosto para que você não possa ver a terra que está ficando para trás, pois fiz de você um sinal para a nação de Israel. (v.3-6)
Então eu fiz o que me foi ordenado. Durante o dia levei para fora as minhas coisas, arrumadas para o exílio. Depois, à tarde, fiz com as mãos um buraco no muro. Ao entardecer saí com a minha bagagem carregando-a nos ombros à vista de todos. De manhã recebi esta palavra do Senhor: Filho do homem, acaso aquela nação rebelde de Israel não lhe perguntou: “O que você está fazendo?” Diga-lhes: Assim diz o Soberano, o Senhor: Esta advertência diz respeito ao príncipe de Jerusalém (rei Zedequias) e a toda a nação de Israel que está ali. Diga-lhes: Eu sou um sinal para vocês. Como eu fiz, assim lhes será feito. Eles irão para o exílio como prisioneiros. (v.7-11)
Até mesmo Zedequias sairá de Jerusalém durante a noite, por um buraco no muro, levando somente o que conseguir carregar. Ele cobrirá o rosto para que não possa ver nada do país. Es­tenderei a minha rede para ele, e ele será apanhado em meu laço; eu o trarei para a Babilônia, terra dos caldeus, mas ele não a verá, e ali morrerá. Espalharei aos ventos todos os que estão ao seu redor, os seus oficiais e todas as suas tropas, e os perseguirei com a espada em punho. Eles saberão que eu sou o Senhor, quan­do eu os dispersar entre as nações e os espalhar pelas terras. Mas pouparei uns poucos deles da espada, da fome e da peste para que, nas nações aonde forem, contem todas as suas práticas repugnantes. Então saberão que eu sou o Senhor. (v.12-16)
Esta palavra do Senhor veio a mim: Fi­lho do homem, trema enquanto come a sua comida, e fique arrepiado de medo enquanto bebe a sua água. Diga ao povo do país: Assim diz o Senhor, o Soberano, acerca daqueles que vivem em Jerusalém e em Israel: Eles comerão sua comida com ansiedade e beberão sua água desesperados, pois tudo o que existe em sua terra dela será arrancado por causa da violência de todos os que ali vivem. As cidades habitadas serão arrasadas e a terra ficará abandonada. Então vocês saberão que eu sou o Senhor. (v.17-20)
Um novo provérbio para Israel:
O Senhor me falou: Fi­lho do homem, você ouviu o provérbio que citam em Israel: “Os dias passam e todas as visões dão em nada”? Diga-lhes, pois: Assim diz o Soberano, o Senhor: Darei fim a esse provérbio, e não será mais citado em Israel. Diga-lhes: Estão chegando os dias em qu­e toda visão se cumprirá. (v.21-23)
Pois não haverá mais visões falsas ou adivinhações bajuladoras entre o povo de Israel. Mas eu, o Senhor, falarei o que eu quiser, e isso se cumprirá sem demora. Pois em seus dias, ó nação rebelde, cumprirei tudo o que eu disser. Palavra do Soberano, o Senhor. (v.24-25)
Veio a mim esta palavra do Senhor: Fi­lho do homem, a nação de Israel está dizendo: “A visão que ele vê é para daqui a muitos anos, e ele profetiza sobre o futuro distante”. “Pois diga a eles: Assim diz o Soberano, o Senhor: Nenhuma de minhas palavras sofrerá mais demora; tudo o que eu disser se cumprirá. Palavra do Soberano, o Senhor”. (v.26-28)

Os falsos profetas prediziam prosperidade e o breve retorno dos cativos de Babilônia. Ironizavam as profecias de Deus dizendo: “A visão que ele vê é para daqui a muitos anos, e ele profetiza sobre o futuro distante”. Mas Deus tinha uma surpresa para eles, pois elas aconteceriam sem mais demora. Muitos acreditam que a volta de Cristo está muito distante, e não se preocupam em se preparar para esse grande momento. Serão pegos de surpresa como as 5 virgens imprudentes, e não poderão participar das bodas do Cordeiro.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA