BENDITA ESPERANÇA – MM 2019

0
132

Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. Hebreus 10:23

A vida de Annie Smith não foi longa, mas deixou marcas profundas no início do movimento adventista. Escritora talentosa, compositora e a poetisa mais importante do início do adventismo, Annie viveu anos antes de nossa igreja ter um nome ou ser organizada. Sua vida, porém, foi interrompida precocemente, aos 27 anos, vítima de tuberculose.

Ainda adolescente, conheceu e aceitou a mensagem pregada por Guilherme Miller. Aos 16 anos, porém, no Grande Desapontamento de 22 de outubro de 1844, abandonou a fé e decidiu se dedicar apenas aos estudos e à poesia.

Em 1851, Deus a resgatou de uma forma curiosa. Sua mãe lhe sugeriu que assistisse a uma das palestras de José Bates, mas ela não se interessou. Seus planos mudaram quando teve um sonho no qual viu um senhor alto, idoso, pregando e usando gráficos. Decidiu ir, mas chegou tarde e ocupou o único assento disponível. Após a mensagem, Bates se encontrou com ela e lhe disse que havia sonhado com sua presença nas reuniões. Pouco tempo depois, Annie aceitou a mensagem adventista.

Entusiasmada com a nova fé, começou a enviar poesias para a revista pioneira do movimento adventista (Advent Review and Sabbath Herald). Tiago White logo reconheceu seu talento e a convidou para trabalhar na área editorial. Por conta de uma séria deficiência visual, ela relutou, mas finalmente aceitou
o convite, confiando na cura divina. Assim como seu irmão, Uriah Smith, Annie deu uma grande contribuição à nossa obra de publicações.

Deus viu a fé daquela menina, a visão dela foi completamente restaurada, e, assim, pôde se dedicar eficientemente à revisão e edição de textos. Nos três anos e meio de trabalho antes de sua morte, contribuiu com 45 poesias para a Revista Adventista em inglês e para a Lição da Escola Sabatina da época.

Uma de suas mais marcantes composições exalta a volta de Jesus: “Logo Ele vem! […] Vem, ó Salvador, vem depressa! Bendita esperança! Nosso espírito se alegra. Leva Teus filhos resgatados ao lar.”

A volta de Jesus é a nossa bendita esperança. Ela vai colocar fim à morte e inundará nossa vida de uma eterna poesia. Viva sonhando com esse dia, e sua vida será uma bela canção de louvor a Jesus.

Erton Köhler, Nossa Esperança, MM 2019, CPB

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA