A ESCOLHA CERTA – MM 2019

0
218

Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada. Lucas 10:42

Em sua primeira visita a Betânia, depois de uma cansativa viagem vindo de Jericó, Jesus encontrou refúgio na casa de Lázaro, Marta e Maria. Querendo demonstrar hospitalidade e oferecer o melhor ao convidado, Marta trabalhava incessantemente. Já Maria aproveitava cada minuto para ser alimentada pelas palavras do Senhor. Ambas faziam o que era importante, mas somente Maria escolheu o que era fundamental. Com amor, Jesus avaliou a postura das duas e declarou: “Maria, pois, escolheu a boa parte” (Lc 10:42).

A igreja precisa de Martas e Marias. Somos beneficiados por pessoas dedicadas, ativas, apaixonadas e que fazem as coisas acontecer, como Marta. Mas é sustentada pelas Marias, que tornam a consagração mais importante que a dedicação. Toda Marta primeiro precisa ser Maria, porque, se não tiver tempo para Deus, viverá perdendo tempo. Não podemos permitir que nossa atividade seja mais forte ou importante que nossa espiritualidade.

Maria não hesitou em dedicar o melhor de seu tempo ao Senhor. Seu amor, respeito e admiração pelo Mestre a levaram a se sacrificar por Ele, honrando-O e ungindo Seu corpo com lágrimas e um caríssimo frasco de perfume. Não se preocupou com sua imagem pessoal e fez por Cristo, em vida, o que outros só tiveram coragem de fazer depois de Sua morte.

“A ‘uma coisa’ de que Marta necessitava era espírito calmo, devoto, mais profundo anseio de conhecimento da vida futura, imortal, e as graças necessárias ao progresso espiritual. Precisava de menos ansiedade em torno das coisas que passam, e mais pelas que permanecem para sempre” (O Desejado de Todas as Nações, p. 525). Somos chamados hoje à mesma decisão: “Se alguém se acha empregado em qualquer coisa que não permite o progresso na vida espiritual e aperfeiçoar-se em santidade no temor de Deus, deve mudar para uma ocupação na qual possa ter Jesus consigo a toda hora” (Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 234).

Cada dia somos expostos a muitas decisões. Precisamos da direção de Deus para fazer o que é certo. Isso só será realidade se, como Maria, depusermos nossa vida aos pés do Salvador. Viva com essa perspectiva, e você sempre ouvirá pela fé “uma palavra, dizendo: Este é o caminho, andai por ele” (Is 30:21).

Erton Köhler, Nossa Esperança, MM 2019, CPB

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA