UMA VOZ DE ESPERANÇA – MM 2019

0
485

Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as Suas veredas. Lucas 3:4

Braulio nasceu em uma família pobre e, desde pequeno, trabalhou limpando carros e vendendo doces. Foram tempos difíceis. Mas a vida de sua família mudou quando a irmã mais nova, Isabel, morreu de meningite aos seis anos, e vizinhos adventistas foram visitá-los em Buenos Aires. Além de palavras de conforto, eles os convidaram para visitar a igreja.

Começaram a estudar a Bíblia, mas não demorou para que seu pai perdesse o emprego por causa do sábado. Tornou-se colportor e, mais tarde, o próprio Braulio também abraçou essa obra. Animado com o serviço para o Senhor, Braulio decidiu ir mais longe: estudar no então Colégio Adventista del Plata e se preparar para o ministério.

Ele foi um estudante ativo e, desde cedo, demonstrou grande capacidade intelectual. Foi editor e diretor da revista A Voz do Colégio. Também escreveu muitos artigos, crônicas e poesias. Não tinha ideia dos planos de Deus para sua vida. Da Argentina, seu ministério se estendeu para Costa Rica, Panamá e Cuba, como professor, pastor e evangelista.

Em 1942, quando a sede mundial da igreja decidiu iniciar o programa A Voz da Profecia, em espanhol, Braulio Pérez Marcio foi escolhido para ser o orador oficial. Sua voz calorosa e suas palavras agradáveis começaram a ser ouvidas no início de 1943, primeiro como A Voz da Profecia e, anos mais tarde, como A Voz da Esperança.

Em uma de suas viagens, o editor de um jornal, no sul do Chile, lhe contou que havia perdido a visão devido a uma doença. Como resultado, acabou perdendo também a fé e a vontade de viver. Decidiu se suicidar, pegou uma arma e ligou o rádio bem alto para abafar o som do tiro. Naquele momento estava começando o programa A Voz da Esperança com o tema: “Por que Deus permite o sofrimento?” A mensagem mudou sua decisão. Ele refez sua vida, recuperou não apenas a fé e a confiança em Deus, mas também sua visão! Histórias como essa se repetiram aos milhares, e multidões foram tocadas pela mensagem de Braulio.

Você também pode ser uma voz de esperança, usando os recursos que tem nas mãos. Suas limitações ou dificuldades não importam. Deus sempre usa gente comum para fazer uma obra extraordinária.

Erton Köhler, Nossa Esperança, MM 2019, CPB

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA